The Affleck's

Meu sol particular! <3

Arquivo para a categoria ““Fato da semana!””

“Fato da semana!”

Demorou, mas chegou! AUshuashuashasuhas P.s. Vou manter esse post fixo por uns dias, então se você já leu, é só pular ele para ver os novos!

Bem, para quem não sabe, o blog vai completar dois anos no dia 4 de setembro, portanto, o “Fato da semana!” de hoje é na realidade um projeto, quero fazer algo bem especial para comemorar esse nosso tempo aqui. Mas para isso vou precisar da ajuda de vocês.
O que eu pensei em fazer é o seguinte, quero abrir uma página que fale sobre nós, sobre a família daqui do blog, seria uma pequena entrevista com uma foto de cada uma de nós e nossos contatos, para que possamos nos comunicar também fora daqui.
Vou fazer a minha “ficha” lá para que vocês possam ver e me dizer se querem ou não participar. Se quiserem acrescentar perguntas a serem feitas, podem também! É só colocar sua sugestão por comentário aqui ou na página.
Vão na página “Nossa família” ali em cima e vejam quais são as perguntas a serem respondidas e se vocês estariam dispostas a fazer isso e me mandar uma foto. Caso aceitem, o prazo é ate primeiro de setembro e é para me mandar por e-mail (luisahelenarglt@yahoo.com.br)

Outra coisa, quero saber algumas coisinhas de vocês para deixar o blog com a nossa cara. Se puderem, respondam essas perguntas por comentário:
1- Qual sua cor favorita?
2- Dos headers anteriores do blog, qual é seu preferido?

E outra coisa, para fazer o post especial de dois anos, quero passar uma tarefa quase impossível! Que vocês escolham qual sua foto favorita de cada um dos Afflecks. Uma foto só de cada um (por isso é quase impossível), do Ben, da Jen, da Vi, da Serah e do Sam (com muita esperança que ele apareça!).

Mais uma coisa! AUshauhsuahsuahs Alguém aí que sabe fazer gifs se habilita a fazer alguns? Queria colocar na lateral.

Enfim, vocês topam? Teríamos aí um pouco mais de um mÊs para fazer isso. Acho que ia ser muito legal!
Bom domingo!

Anúncios

“Fato da semana!”

“Era uma vez…
Havia uma floresta encantada, com os clássicos personagens que conhecemos.
Ou que pensávamos conhecer…
Um dia eles se viram presos num lugar onde seus finais felizes foram roubados: O nosso mundo.”

Eu destruirei sua felicidade nem que seja a última coisa que eu faça!

Em Once Upon a Time, acompanhamos as vidas de personagens de contos de fadas que, por conta de uma maldição, vivem no nosso mundo real sem saber sua verdadeira identidade. No centro dessa trama, está Emma, uma mulher que vê sua vida mudar para sempre, agora que reencontrou o filho aquela tinha abandonado há anos. O garoto tenta a todo o custo convencê-la de que ela veio de uma realidade alternativa, onde era a filha da Branca de Neve e do Príncipe Encantado, que a deixaram quando bebê, para protegê-la da maldição lançada pela Bruxa Má. E é essa mesm maldição que congelou o mundo de conto de fadas no tempo e trouxe todos os seus personagens para o mundo moderno.

Bem, eu ainda gosto muito das histórias clássicas de contos de fadas, cresce com elas e fazem parte do que eu sou hoje. Gosto também de ficção e de fantasia. Once Upon a time é uma série que tem tudo isso com toques a mais. Eles recontam as histórias de uma forma incrível. Além disso, tem a diferença entre o mundo de conto de fadas e o nosso mundo que é muito interessante.

A série é muito viciante e uma boa pedida para quem gosta do estilo. Aqui um trailer.

Acreditar mesmo na possibilidade de um final feliz, é uma coisa muito poderosa.

Bom domingo!

“Fato da semana!”

Hoje vamos falar de “The hunger games”. Conhecido no Brasil como Jogos Vorazes e, em Portugal, como Os Jogos da Fome. É uma trilogia escrita pela americana Suzanne Collins.

A história de The Hunger Games é ambientada em um período futurístico não definido, após a destruição da América do Norte, em uma nação chamada Panem. Panem é formada por uma poderosa cidade central, conhecida como Capital, que é rodeada por treze distritos, definidos a partir de uma sequência numérica que vai de 1 a 13. O Distrito 12, onde vive a protagonista, localiza-se em uma região rica em carvão (lugar que, no passado, abrigava a Cordilheira dos Apalaches).
Alguns anos antes do início da história, o distrito 13 tentou se rebelar, mas acabou destruído pela Capital. Para evitar novos levantes e para lembrar às pessoas do seu poder, a Capital criou os Jogos Vorazes, uma competição anual que é transmitida ao vivo pela televisão para toda a população de Panem. Para os Jogos, durante uma celebração chamada Dia da Colheita, são selecionados uma garota e um garoto entre 12 e 18 anos de cada distrito, que são forçados a entrar em uma perigosa arena, controlada pela Capital. Na arena, os competidores, que são denominados tributos, têm que lutar até a morte para, no fim, restar apenas um único sobrevivente.

A história se passa a partir do ponto de vista de Katniss Everdeen, uma garota de dezesseis anos que mora no distrito 12 com a mãe e a irmã quatro anos mais nova. Katniss perdeu o pai quando tinha onze anos em uma explosão numa mina de carvão. Como vive no distrito mais pobre de Panem, Katniss sustenta sua família caçando ilegalmente na floresta, junto com seu melhor amigo Gale.

No dia da colheita, sua irmã mais nova é selecionada para participar dos Jogos Vorazes, mas Katniss acaba se oferecendo no lugar da irmã. O outro participante do Distrito 12 escolhido é Peeta Mellark, um garoto que tem a mesma idade que Katniss, estuda na mesma escola que ela e que, no passado, entregou-lhe um pedaço de pão quando ela vagava pela rua à procura de algum alimento.

Peeta, Katniss e Gale.

A trilogia segue com os livros, Em chamas e Esperança.

Os livros são muito bons, eu li cada um em um dia, ficava louca para saber o que ia acontecer! E o filme baseado no primeiro livro está para lançar. Aqui alguns trailers.

Espero que gostem! Deixa eu ir trabalhar agora né! Bom domingo!

“Fato da Semana!”

Well, vocês sabem que sou viciada em séries (solzinho que o diga!), já falei de algumas aqui e hoje vou falar de outra.

Pretty Little Liars é uma série de televisão, do gênero drama e suspense criada por Marlene King. Baseada na série de livros com o mesmo nome, escrita por Sara Shepard.

A série retrata as vidas de Spencer Hastings,

Aria Montgomery,

Hanna Marin e

Emily Fields.

Um grupo de garotas que depois de o desaparecimento da líder do grupo, Alison DiLaurentis,

começam a receber mensagens anónimas com o nome “-A” que ameaça revelar todos seus segredos, mais sombrios e profundos.

No começo das mensagens as garotas acham que Alison está viva e as está chantageando já que ela era a única que sabia todos os segredos de suas amigas, mas após seu corpo ser encontrado elas sabem que mais alguém sabe de todos seus segredos.

E aí começa a série, eu amo muito porque é cheia de mistério e viradas que não dá para saber o que vai acontecer, é muito bem escrita e conectada. Tem momentos que vão te fazer gritar, seja de alegria, susto, medo ou de raiva!

I just love love love it!

Aqui tem um trailer da série legendado.

E a entrada.

Você fica quebrando a cabeça para tentar saber quem é -A, monta os pedacinhos do quebra cabeça e cria várias teorias na sua cabeça enquanto acompanha a vida das Liars no seu dia-a-dia.

A minha Liar favorita é a Spencer.

Ela é super inteligente, clássica e ao mesmo tempo bem humorada. Amo tudo!

E meu OTP, meu casal favorito forever! Spoby! ♥

Tem uma coisa muito engraçada que aconteceu comigo assistindo essa série, bem, -A, quem quer que seja, se comunica basicamente por sms, então toda vez que o celular de uma delas toca, dá um frio na barriga. Estava eu assistindo quando passa essa cena.

Emily: So what do we do ?
Spencer: We go under terror-alert red and hope that our phones don’t ring.
*Emily’s phone rings*
Spencer: That did not just happen.

Emily: Então o que faremos?
Spencer: Nos ficamor sob alerta de terror e esperamos que nossos telefones não toquem.
*Telefone da Emily toca*
Spencer: Não acredito que isso aconteceu!

Na hora que o telefone toca lá o meu toca aqui, eu dei um pulo na cadeira! UAshuashuashasuhsauhsa
E adivinha de quem era a mensagem? Solzinho! ♥ KKK I love you gêmea!

Então é isso por hoje, espero que vocês gostem e comecem a assistir porque é muito muito boa a série! E quem já assiste: bate aqui o/

Bom domingo para todo mundo!

“Fato da semana!”

Esse sábado eu resolvi falar de um filme que é uma lição de vida para todos nós. Para mim, particularmente, ele é muito especial devido aos recentes acontecidos com meu pai. Acho que já assisti ele umas 5 vezes nos últimos 2 meses e choro todas as vezes.

Soul Surfer é um filme sobre superação, garra e força. Eu conheci o filme por causa da Annasophia Robb que faz o papel principal nele, gosto muito dessa atriz e resolvi assistir.

Trailer:

O filme é baseado na história real de Bethany Hamilton.

Bethany Meilani Hamilton nasceu no dia 8 de fevereiro de 1990 em Kauai no Hawaii.

Filha de surfistas, ela diz ter começado a surfar assim que conseguiu a se equilibrar na prancha. Sua mãe dizia que ela e sua amiga Alana eram sereias porque estavam sempre no oceano.

Desde muito nova ela foi considerada uma surfista prodígio ganhando vários campeonatos.

Bethany e Alana

No dia 31 de outubro de 2003, quando Bethany tinha 13 anos, ela saiu para surfar com sua melhor amiga Alana e o pai e o irmão de Alana. Bethany foi mordida por um tubarão e perdeu seu braço esquerdo e 60% do sangue do seu corpo.

Prancha usada por ela no momento do ataque.

It came, literally, out of the blue.
I had no warning at all; not even the slightest hint of danger on the horizon. The waves were small and inconsistent, and I was just kind of rolling along with them, relaxing on my board with my left arm dangling in the cool water. I remember thinking, “I hope the surf picks up soon…”
That’s all it took: a split second. I felt a lot of pressure and a couple of lightning fast tugs. Then I watched in shock as the water around me turned bright red. Somehow, I stayed calm. My left arm was gone almost to the armpit, along with a huge crescent-shaped chunk of my red, white and blue surfboard…

Tubarão que a atacou.

“Veio, literalmente, do meio do azul.
Eu não tive nenhum aviso; nem mesmo uma pequena dica do perigo no horizonte. As ondas estavam pequenas e inconsistentes, e eu só estava rolando com elas, relaxando na minha prancha com meu braço esquerdo pendendo na água fria. Eu me lembro de pensar, “Espero que surf aumente logo…
Isso foi tudo que precisou: uma fração de segundo. Eu senti muita pressão e pequenas fincadas. Depois eu assisti em choque enquanto a água se tornava vermelho brilhante. De alguma forma, eu fiquei calma. Meu braço esquerdo se foi quase até a axila, junto com um pedaço em forma de crescente enorme da minha prancha vermelha, branca e azul …”

Apesar da gravidade do ferimento, ela sobreviveu.

Desde esse momento, ela tem sido uma fonte de inspiração para todos ao seu redor. 3 dias após o ataque, ainda no hospital, ela foi filmada andando e brincando com um balãoo. Ao ser entrevistada 3 semanas depois, Bethany respondeu a pergunta: “Do you think you’re gonna surf again?” (Você acha que vai voltar a surfar?) com a frase: “I think? I KNOW I’m gonna surf again” (Eu acho? Eu SEI que eu vou voltar a surfar.”

"Eu desistir? Nunca!"

Ela escreveu um livro intitulado Soul Surfer (Alma surfista).

Capa do livro

Ajudando as vítimas do Tsunami.

Bethany surfou novamente um dia antes do dia de ação de graças (Em novembro) do mesmo ano do ataque. Ela conseguiu se equilibrar na prancha na sua terceira tentativa.

Bethany e Alana surfam pela primeira vez depois do ataque

Prancha e história de Bethany em um museu

Hoje em dia, Bethany Hamilton é uma surfista profissional detentora de diversos prêmios. Com muito esforço, coragem, força e fé, ela superou os obstáculos de sua nova condição.

Sobre o ataque, Bethany diz: “I definitely would allow the shark attack to happen. The thing for me is like I know that God allowed it to happen and because of all the good stuff that has come from this terrible experience. I’m still surfing, loving life and being able to reach people a lot more than I would have probably with two arms.”

“Eu definitivamente permitiria o ataque do tubarão acontecer. A coisa para mim é que sei que Deus permitiu que isso acontecesse e por causa de todas as coisas boas que vieram dessa terrível experiência. Eu ainda estou surfando, amando a vida e sou capaz de alcançar mais pessoas do que seria possível com dois braços.”

Ela disse que o filme é bem parecido com o que aconteceu realmente, mas que é mais dramático.

Bethany surfando atualmente.

O filme é uma lição de vida, lindo e inspirador!!!

“Life is a lot like surfing. When you get caught in that impact zone, you need to get right back up because you never know what’s over the next wave.”

“A vida é muito parecida com o surf. Quando você é pega na zona de impacto, você precisa se levantar imediatamente porque você nunca sabe o que vem depois da próxima onda.”

“When you come back from a loss, beat the odds, and never say never, you find a champion.”

“Quando você se recupera de uma perda, ultrapassa as expectativas, e nunca diz nunca, você encontra uma campeã.”

“Eu não preciso de fácil, eu só preciso de possível.”

“The things you are going to have to learn to do differently is extensive but the things you won’t be able to do is small.”


GIFSoup

“A quantidade de coisas que você vai ter que aprender a fazer diferente é extensiva mas a quantidade de coisas que você não vai ser possível de fazer é pequena.”

“Love. Bigger than any tidal wave. More powerful than any fear.”

“Amor. Maior que qualquer tsunami. Mais poderoso que qualquer medo.”

“I don’t know why terrible things happen to us sometimes. But I have to believe that something good is going to come out of this.”

“Eu não sei porque coisas terríveis acontecem conosco às vezes. Mas eu tenho que acreditar que algo bom sairá disso.”

“Fato da semana!”

Então, prometi foto dos meus priminhos e aqui vão muitas!

 

Leia mais…

“Fato da semana!”

Isso aqui está quase virando o Livro da semana não é? AISuahsuahsuahsuha
Vou tentar variar mais é só que falta um pouco de criatividade.

Hoje vou falar sobre Nárnia.

As Crônicas de Nárnia é uma série de sete livros de fantasia, escrita pelo autor irlandês C.S.Lewis.

Estátua em memória do autor da série, Clive Staples Lewis, olhando o interior de um guarda-roupa, como no livro "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa".

É a obra mais conhecida do autor, e a série é considerada um clássico da literatura infantil, tendo vendido mais de 120 milhões de cópias em 41 idiomas. Escrito por Lewis entre 1949 e 1954, e ilustrado por Pauline Baynes, as Crônicas de Nárnia foram adaptadas diversas vezes, inteiramente ou parcialmente, para a rádio, televisão, teatro e cinema.

Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro?
O nome dos sete livros são:

-O sobrinho do mago (Isso aí, O leão, a feiticeira e o guarda-roupa não é o primeiro livro!)
-O leão, a feiticeira e o guarda-roupa
-O Cavalo e seu Menino
-Príncipe Caspian
-A viagem do peregrino da Alvorada
-A cadeira de Prata
-A última batalha

Sem sombra de dúvidas, o mais famoso é o segundo, já que foi o primeiro filme feito.
Aqui está o trailer.

Nárnia é um mundo fantástico criado pelo escritor irlandês C.S. Lewis como local narrativo para As Crônicas de Nárnia. O mundo é chamado assim em homenagem ao país de Nárnia, onde acontece a maior parte da história.
Em Nárnia, alguns animais podem falar, as criaturas mitológicas abundam, e a magia é comum. As pessoas, geralmente crianças, entram no mundo narniano provenientes do “nosso mundo”, a Terra.

Nárnia é um mundo plano e geocêntrico, ao contrário do nosso, conforme é narrado em A Viagem do Peregrino da Alvorada. No limiar do mundo de Nárnia, o oceano tem água doce, é coberto por flores, e o céu encontra o mar. Além do mais, no extremo leste deste oceano está o país de Aslam (Criador de Nárnia, toma a forma de um leão gigante).
O solo é uma camada morta como a pele que recobre o nosso corpo, mas no interior da terra, as rochas também são criaturas vivas como é relatado em A Cadeira de Prata.
O céu é habitado pelas estrelas, que também são vivas e realizam danças que os sábios podem interpretar para fazer predições sobre a chegada de Aslam e outros acontecimentos.
O sol é um disco em chamas que dá a volta em torno do mundo de Nárnia uma vez a cada dia.

Grande parte das histórias gira em torno de quatro irmãos, dois meninos e duas meninas. Pedro, Susana, Edmundo e Lúcia.
Eles são obrigadas a sair de Londres por causa dos bombardeiros e ir para uma pequena cidade na Inglaterra, na casa de um professor solteiro. Quando chegam na mansão do tal professor, Lúcia descobre uma passagem secreta escondida no fundo do guarda-roupas de uma sala vazia. Esta passagem leva a Nárnia. Isso acontece no livro 2.

Bom vou parar de falar senão conto tudo da hstória! Mas vocês podem imaginar como seria legal poder entrar para o mundo encantado de Nárnia!

Até hoje não encontrei um guarda roupa mágico para me levar até lá, portanto, uso meu livro como passaporte.

Até a próxima!

“Fato da semana!”

Hoje vou falar sobre um amorzinho da minha vida, Connie Talbot.

Eu queria fazer esse post a muito tempo, só que o canal da Connie no youtube tinha saido do ar e depois que voltou eu não tive tempo.

Connie Talbot é uma jovem cantora nascida em 20 de novembro de 2000, em Walsall, uma cidade localizade em West Midlands (Inglaterra).

Começou a ganhar fama ao se apresentar no BGT (Britain’s Got Talent) e encantar os jurados e todos que a assistiam. Foi com essa apresentação que a conheci, há mais ou menos 4 anos atrás. Este é o vídeo de sua performance, ela estava com 6 anos. P.s.: Ela começa a cantar mais ou menos em 1:46.

Connie apresentou a música Ben de Michael Jackson na Semi Final.

E na final, Connie apresentou Somewhere over the Rainbow novamente e ficou em segundo lugar.

Mas segundo os pais dela, ela canta desde que aprendeu a formar as palavras, tem um vídeo que mostra isso.

OWN MEU DEUS DO CÉU! O microfone é maior que ela! ♥

Com 7 anos, a pequena Connie já teria seu contrato assinado com a Sony BMG, o que não aconteceu devido a sua pouca idade.
Porém, logo após, Connie assinou contrato com “Rainbow Recording Company”, onde lançou seu primeiro álbum: Over the Rainbow, no Reino Unido, em 26 de novembro de 2007.

Over the Rainbow já vendeu mais de 250.000 cópias em todo o mundo e chegou a número um em três países. Desde o lançamento do seu primeiro album, Talbot tem se apresentado publicamente na televisão e na Europa, nos E.U.A e em toda a Ásia, onde sua música ganhou reconhecimento através do YouTube.

Um 2º álbum surge também em Novembro, no dia 24 do ano 2008 com o nome Connie Talbot’s Christmas Album.

Durante as férias da páscoa dos pais à Jamaica, Connie Talbot encontrou o clima perfeito para gravar o clipe para a música “Three Little Birds”, de Bob Marley.

Connie tem outros clipes, I have a dream, por exemplo.

“I believe in Angels, cause I just heard one! <3"

E walking in the air.

Seu terceiro álbum, Connie Talbot's Holiday Magic foi lançado no dia 20 de Outubro de 2009.

Depois disso, infelizmente, ela deu uma sumida. Sem patrocínio para gravar discos em seu país, ela fez turnês pela Asia.

Ela até arriscou uma música em japonês.

Eu AMO essa gargalhada!

Mas ela nasceu para cantar, nada vai pará-la.

Então o que ela fez? Pegou um microfone, uma câmera e equipamentos caseiros e começou a fazer covers para a minha alegria de todos os seus fãs.

Ela tem muitos covers espalhados pelo youtube, grande parte deles no seu canal oficial.

Começou a ter aulas de canto para aprimorar seu dom natural e começou a fazer aulas de piano.

Eu amo como ela segura o microfone, o sorriso dela, o jeito que ela treme a voz em algumas notas, os olhos, os cabelos, o sotaque britânico dela, a persistência, o talento, a timidez, a simplicidade e a voz. Amo tudo nela.

Não tem nem como eu colocar todos os vídeos dela aqui! UAshuashuash
Mas tem aí o canal dela e um youtube de oportunidades, espero que tenham gostado dela e que tenham virado fãs como eu! 😀

“Fato da semana!”

Pegando o gancho do assunto da semana passada que parece que agradou, o tema desse sábado é a série Percy Jackson & os Olimpianos.

Essa série foi escrita pelo americano Rick Riordan.

Primeiro volume da saga Percy Jackson e os Olimpianos, O Ladrão de Raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.
O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos – jovens heróis modernos – terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.

Os livros seguintes são:

-O Mar de monstros

-A Maldição do Titã

-A Batalha do Labirinto

-O Último Olimpiano

Não vou revelar as sinopses dos outros livros porque revela detalhes do enredo dos livros anteriores e não quero que vocês percam a vontade de lê-los por isso! 😉

Eles fizeram um filme do primeiro livro.

Aqui o trailer.

THIS IS A PEN!!!! AUshuashuashushauashuash

Minha personagem favorita é a Annabeth.

A atriz que a interpreta nos filme é bem diferente das características escritas pelo escritor.

Annabeth Chase é filha da deusa Atena e do mortal Frederick Chase. Annabeth morou no Acampamento Meio-Sangue por cinco anos (sem incluir o período após a chegada de Percy Jackson). Ela e Grover ajudam Percy em sua missão.

O acampamento Meio sangue é o lugar aonde os meio-sangues vão para proteção (eles atraem monstros mitológicos) e para serem treinados para combate.

Eu tenho uma camiseta do acampamento! XD

Bem, o livro (consequentemente o filme) é cheio de ação! Eu virava as páginas freneticamente. Além de conter uma dose generosa de mitologia, para mim, uma fórmula excepcional!

Além desses livros, tem um “extra”.
Os arquivos do Semideus, é um livro de curiosidades da série Percy Jackson e os Olimpianos. Traz três contos inéditos, entrevistas com os campistas e imagens.

E depois que a série “terminou” Rick começou outra com o mesmo tema e personagens (Ponto para ele!), só que com um enredo diferente e novos personagens além dos antigos. Não li o livro ainda, mas acredito que vai ser tão bom quanto os anteriores.

Espero que gostem e leiam, bom domingo!

“Fato da semana!”

E o tema desse sábado é Mitologia Grega.

Bom, eu sou apaixonada por mitologia e tem um motivo muito simples e especial para isso. Eu cresci escutando as histórias dos Deuses do Olimpo, dos heróis e das tragédias. Isso porque minha mãe não tinha paciência para contar histórias para mim e minha irmã quando éramos pequenas, essa parte sobrava para o meu pai. Como a única história que ele conhecia dessas mais tradicionais era Cachinhos dourados, longo nos cansamos dela e ele começou a contar histórias mitológicas.

Lembro-me especificamente de dias de chuva em que acabava a energia elétrica, minha irmã e eu corríamos para a cama do meu pai e minha mãe, onde ele nos contava histórias. Eu morria de medo da chuva, dos trovões e do escuro, mas não tinha medo algum das tragédias gregas. Com o tempo, eu fui crescendo e pesquisando mais sobre o assunto. E hoje amo tudo relacionado a isso. Fico encantada em quão rica é a cultura clássica.
Vou contar uma história pequenininha para vocês. Não é minha favorita, mas é a menor que consegui achar e acho bem interessante.

Helios

O Sol é personificado em várias mitologias: os gregos o chamavam de Helios e os romanos o chamavam de Sol.
Sendo deus do Sol, sua cabeça é aureolada por raios de ouro. Helios era imaginado passear em uma carruagem de fogo, puxada por quatro cavalos luminosos:Pírois, Eoo, Éton e Flégon (nomes relacionados com o fogo e com a luz) através do céu, trazendo luz para a Terra. A jornada do Sol, naturalmente, começava no leste e terminava no oeste, local onde Helios completava sua ronda diária e flutuava de volta para o seu palácio no leste em uma taça dourada.
Detalhes desta descrição do papel de Helios como o deus Sol aparecem na mitologia, literatura, poesia e arte. De acordo com o poeta grego Hesiodo, Helios era o filho de dois Titãs – Theia e Hyperion. Na Teogonia de Hesiodo, por conseguinte, Helios era também o irmão de Eos (a deusa da alvorada) e Selene (a deusa da Lua).

Mais alguém gosta de mitologia aí?
Bom domingo! E feliz dia dos pais para os papais de vocês! Vou viajar porque meu vô mora em outra cidade e minha família comemora reunida, mas já deixei um post homenageando o Ben agendado, portanto, não se esqueçam de passar aqui para dar uma olhadinha! Beijo beijo!

Navegação de Posts